Ritual Macabro

Por: Darlon Silva

Eu tenho o cheiro acre do fracasso na boca. Nas minhas mãos, o pus infeccioso de ser IMUNDO. Podre por dentro, não presto, não confie em mim. Eu sou o pior ser humano que você conhece. Afaste-se. A mim, me basto. Amor próprio e auto-suficiencia estão escondidos nos meandros da minha mente doentia. É minha condição humana.
Sou quase um monstro decepador de ilusões. Não confie em mim, MESMO. Eu não sou feliz, é a condição de ser tão humano quanto um bicho. Preciso satisfazer minha fome de almas, de sonhos. Estou tão perto do animalesco agora! Aguarde que eu demonstre quem sou de verdade. Morda a sua língua, chupe o sangue, cicute-se; conheça o meu baixio das bestas. Sinta o suor dos meus pelos, a acidez dos meus beijos e o calor do meu sexo.
Porque é só o que tenho a te oferecer, a coisa física. Em minha mente, jamais penetrarás e minhas intenções nunca te serão reveladas, tolo. As palavras que soarem doces em minha boca serão sempre falsas. Saibas que não sou terno, belo, suave nem fácil. Eu me contento com meus restos, meu lixo, meu tóxico. Estou à procura de idiotas que me façam sangrar, por prazer.
Eu sou a esquerda, eu sou negro, eu sou o preto. Delicio-me nas trevas, como carne, mato galinha. Minha gargalhada corta o silêncio da noite, sou chefe dos trovões e relãmpagos. Meus olhos reviram, a voz doce de criança, ginga de outro.
Veja, meu corpo é quente, é cômodo se esquentar em mim, mas é só. E se um dia eu te der a mão, note minha índole de carrasco a arrancar-te a cabeça. E caso queiras morrer por aqui, deixa-me antes acender nossas velas pretas. Porque o meu amor, fingido, é magia negra. Não passo de um ritual macabro. Divirta-se.
Meu corpo roda, o santo baixa. As palavras, incomunicáveis. Os olhares, indecifráveis. A mente é fechada. Acompanhar-me é ranger os dentes, rasgar a seda, quebrar o vidro. Visto vermelho, grito ao vento, balanço a saia. Eu sou o espírito dos sete pecados, a luxúria cristã e a blasfêmia cantada em voz alta. Não peques duvidando da força do meu espírito. Não confie na minha suavidade. Não se ache mais esperto. Não queira bancar o sobrevivente, eu sou mais forte que você.
Eu sou o pagador de promessas, a maldade, a dor e o sofrimento. Eu sou ritual macabro. Divirta-se.

 

Anúncios
  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: